Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

THE SKIN GAME

Dermocosmética, reviews, aconselhamento

Melhores Produtos Anti-Envelhecimento para 35+

priscilla-du-preez-frRrn5ASwzo-unsplash.jpg

Não imaginam a quantidade de pessoas com cerca de 35 anos que me enviam mensagens a pedir ajuda em cuidados de rosto. Parece haver ali uma conjugação entre uma pessoa aperceber-se que está mais perto dos 40 do que dos 30, com mães de crianças pequenas que se apercebem que deixaram de ter tempo para si próprias com os próprios sinais de envelhecimento a aparecer claramente. Por norma, é sempre um destes factores ou uma combinação deles que me apontam como culpados do contacto. Entretanto apercebi-me que, apesar de ter post para primeiros sinais de envelhecimento e para peles maduras, aquele intermédio ali em que os sinais de envelhecimento ainda não estão imensamente marcados, mas já estão claramente lá ainda estava em falta no blogue. Usei os 35+ como referência, apenas pela piada de receber imensas mensagens de pessoas de 35 anos, mas podem adaptar estes conselhos a qualquer que seja a vossa idade.

 

Uma coisa que aconselho sempre é um bom sérum hidratante, de preferência com ácido hialurónico de alto e baixo peso molecular para garantir que não só existe hidratação, mas também uma acção de preenchimento das rugas. Para a luminosidade, que é algo de que muita gente se queixa nesta fase, nada melhor do que uma boa esfoliação e um sérum com vitamina C. Quanto aos anti-envelhecimento, nesta fase já gosto de apostar não só em fórmulas de prevenção, mas também de correcção, por isso é comum recomendar que se iniciem os retinóides nesta fase.

 

Antes de listar, se comprarem na Care to Beauty, para onde os links direcionam, podem usar o código ANA10 para terem 10% de desconto que acumula com os descontos em vigor (parceria).

 

Para pele normal a seca:

 

Para pele oleosa a mista:

 

Para pele com sensibilidade (alterações que podem fazer às duas rotinas anteriores):

 

Gravidez - produtos recomendados e o que não usar

freestocks-ux53SGpRAHU-unsplash.jpg

Num mundo cada vez mais empenhado em demonizar todo o produto cosmético, esta situação é particularmente relevante nas grávidas. Eu bem sei que é mesmo muito complicado, porque toda a gente à vossa volta vai achar que sabe exactamente do que é que vocês precisam e que sabem muito mais do que vocês, além de todo um mundo cibernético para vos complicar ainda mais a vida. Se vieram parar a este post e estão grávidas, digo-vos o seguinte: dentro dos possíveis, tentem filtrar aquilo que ouvem. Este é mais um post, neste caso baseado na minha experiência em aconselhamento de produtos farmacêuticos, nas aulas de dermocosmética, nas publicações mais recentes em bases de dados científicas e na minha própria gravidez.

 

Dito isto, vamos àquilo que a maioria das grávidas pergunta: "Estou grávida, o que é que não posso usar em cosméticos?"

Se andaram à procura de coisas deste género no Google, neste momento têm uma lista infinita de ingredientes que os vossos produtos não podem conter. Percebam, principalmente, que nem 10% do que está nessas listas vai fazer alguma coisa ao bebé, porque as pessoas extrapolam informação que não deviam. Compreendam também que, se usaram algum ingrediente que "não deviam" e acabaram de descobrir que estão grávidas, está tudo bem - descontinuem o uso do produto na certeza de que vocês não fizeram mal ao vosso bebé.

Primeiro que tudo, vamos ter de nos lembrar que muitos dos efeitos adversos foram registados em animais e/ou em doses muitos mais elevadas e/ou por via oral/respiratória em vez de via cutânea. Portanto todos os efeitos nocivos que certas substâncias tenham registado não são necessariamente verdadeiros para a aplicação cutânea em doses baixas como é o caso da grande maioria dos cosméticos. Ou seja, se encontrarem um sítio que diz que a substânia Y causa cancro do pulmão quando inalada em doses elevadas, não significa que essa mesma substância vá causar cancro se aplicada em doses muito baixas na pele. A nossa pele existe para nos proteger e a grande maioria das moléculas, particularmente as de grandes dimensões, praticamente não chegam a lado nenhum. E não, a narrativa de que a nossa pele é uma esponja está bem longe da verdade - basta pensarem que um hipertenso pode tomer banho de mar e não fica com uma crise de hipertensão a seguir por causa da água salgada.

Por outro lado, nas grávidas e visto que não são efectuados testes nessas condições, aplica-se uma abordagem de "mais vale prevenir do que remediar" e em caso de dúvidas viáveis sobre a segurança de uma substância na gravidez, opta-se por dar outra alternativa.

Vamos então à lista do que é recomendado que evitem usar:

  • Retinóides (pesquisar nas listas de ingredientes por tretinoin, isotretinon, retinol, retinal, retinaldehyde e retynil palmitate) - o risco foi estabelecido para a toma do produto e há alguns estudos que apontam para que a utilização tópica de fórmulas sujeitas a receita médica poderão ter algum efeito no desenvolvimento. Os restantes é apenas uma questão de zelo e em princípio não terão efeitos nocivos.
  • Alfa hidroxiácidos (pesquisar nas listas de ingredientes por glycolic acid, mandelic acid, lactic acid, malic acid, tartaric acid) - o principal problemas nestes ingredientes é que poderão potenciar o aparecimento do cloasma gravídico por permitirem uma maior exposição das camadas inferiores da pele à radiação solar. O ideal é descontinuar ou baixar a percentagem nos meses mais quentes. Nota: o ácido cítrico é muitas vezes usados como corrector de pH nas formulações, vindo no fundo da lista de ingredientes, pelo que a quantidade a que se expõem nesse tipo de casos é absolutamente irrelevante.
  • Beta hidroxiácidos (pesquisar nas listas de ingredientes por salicylic acid ou ingredientes que contenham salicylate) - apesar da capacidade de penetração ser praticamente nula, a maioria dos médicos opta por desaconselhar o uso de ácido salicílico por via tópica. Havendo alternativas a produtos com este ingrediente, o ideal é optar pela alternativa.
  • Hidroquinona (pesquisar por hydroquinone) - estabelecido e relevante. Se fazem hidroquinona por prescrição médica, devem descontinuar o seu uso e falar com o médico para que sejam sugeridas alternativas. De notar que a hidroquinona não deverá estar presente em cosméticos, mas sim em medicamentos de uso tópico.

Já vi listas que incluem coisas como o ácido hialurónico, alguns protectores solares (particularmente o octocrileno), alumínio e parabenos. Nestes casos não há estudos que fundamentem a proibição, pelo que aconselho-os regularmente e só os citei aqui para não acharem que era uma possível falha de informação.

 

Vamos então à segunda pergunta: "Estou grávida, o que é que devo usar?"

Aqui as palavras-chave são hidratação e protecção solar. Não existe um único produto que seja necessariamente melhor do que os restantes, sendo que cerca de 90% dos cosméticos vendidos em canais autorizados (farmácias, perfumarias, supermercados) são perfeitamente seguros. Contudo, na prática, podem continuar a usar praticamente tudo o que já usam e dificilmente terão de fazer grandes alterações às vossas rotinas de cuidados de rosto.

 

Antes de listar, se comprarem na Care to Beauty, para onde os links direcionam, podem usar o código ANA10 para terem 10% de desconto que acumula com os descontos em vigor (parceria).

 

Hidratação e anti-estrias

Usem aquilo com que se derem melhor, desde que o usem frequente e abundantemente, não só para evitarem o aparecimento de estrias na gravidez mas também porque dá uma grande sensação de conforto à pele e ajuda a reduzir exponencialmente a comichão na barriga nas fases em que ela cresce mais. Não vos vai servir de nada comprarem o creme super caro daquela marca famosa se, por ser tão caro, usarem tão pouco que depois não vêem resultados. Nesse caso, se precisarem de um estímulo à hidratação em quantidade, gosto particularmente de aconselhar a loção hidratante da CeraVe, que existe em vários tamanhos e é muito acessível, tendo mesmo uma embalagem de 1L.

Se preferirem a abordagem dos óleos, e para perceberem que vale mesmo tudo, até podem usar óleo de amêndoas doces. É o que vos digo, vale tudo desde que mantenham a pele hidratada. Se quiserem algo mais específico, têm também o Bio-Oil, adorado por uma imensidão de grávidas pelo mundo fora. No caso dos óleos aconselho a que sejam usados depois do banho de forma a que a humidade da pele fique retida.

Se, por outro lado, valorizam os hidratantes com uma base científica por trás, então aconselho-vos o Woman Isdin, que tem um trabalho publicado sobre este produto que é bastante interessante e tem uma composição mesmo muito boa. Como nota, foi o que escolhi utilizar na minha gravidez (zero estrias na gravidez, numa pessoa que tem o mapa das estradas de Portugal nas coxas da altura da adolescência).

No caso de terem muita comichão na barriga, aumentem a quantidade de creme que aplicam, aumentem o número de aplicações por dia ou adicionem um bálsamo extremamente hidratante - recomendo o La Roche-Posay Lipikar AP+M ou o CeraVe em boião.

 

Prevenção de manchas (melasma/cloasma gravídico)

A melhor forma de prevenção é a protecção solar. Ponto. Aqui não têm hipótese. Usem e abusem dos filtros solares elevados porque é por aí que vocês podem prevenir da melhor forma essas manchas. Existem alguns formulados tendo em conta as grávidas, sendo que um bom exemplo é o ISDIN Spot Prevent (disponível com e sem cor), mas outras alternativas muito interessantes são o Eucerin Sun Pigment e o Sesderma Urban 365 Despigmentante. De qualquer forma, desde que usem o protector solar, não têm de optar por um especificamente anti-manchas, têm é de usar o protector diariamente. E não se esqueçam que as manchas não aparecem só no rosto, portanto comecem a aplicar protector solar no corpo se não for já hábito vosso. Diariamente.

Se quiserem dar uma ajuda extra à prevenção, um produto que habitualmente funciona às mil maravilhas com grávidas é o Eucerin Anti-Pigment Serum (mesmo em pele negra) mas têm também o Pigment Zero da Martiderm. Apliquem-no todas as manhãs antes do hidratante habitual, a seguir ao qual vem obrigatoriamente o protector solar.

 

Pernas cansadas

Com o avançar da gravidez, é normal as grávidas apresentarem pernas cansadas. O vosso melhor amigo nisto serão as meias de descanso/compressão aconselhadas pelo vosso médico (por favor não saltem este passo, eu sei que aquilo é uma chatice para calçar, em particular com uma barriga de grávida, mas é mesmo para o vosso bem). Se quiserem acrescentar algo à vossa rotina em termos de cosméticos, a MartiDerm tem o LegVass que é particularmente indicado nestas situações.

 

Mamilos

Existem várias alternativas para cuidar desta zona. Eu gosto particularmente de aconselhar o Purelan da Medela ou a lanolina da Lansinoh em mães que planeiam amamentar, pois uma vez que é só lanolina, não tem de ser retirado do mamilo na hora de amamentar. Por outro lado, não tem os benefícios calmantes e anestesiantes de outras ?utm_source=instagram&utm_medium=sm&utm_campaign=influencer&utm_term=anaoliveira, por isso vai sempre depender daquilo que precisam quando tiverem o vosso bebé convosco. Contudo, na fase de gravidez o Purelan é mais do que suficiente caso sigam o conselho de colocar creme nos mamilos durante a gravidez. Há enfermeiros que aconselham e outros não, é uma questão de opção.

 

Acne na gravidez

Infelizmente, muitas pessoas passam por crises de acne na gravidez e a grande maioria dos tratamentos clássicos para a acne não são recomendados nesta fase. A abordagem aqui é de controlo e não de tratamento - até porque muitas vezes a situação resolve-se por si própria. Têm um post exclusivamente dedicado à acne na gravidez.

 

Sangramento das gengivas

Com o aumento do volume sanguíneo durante a gravidez é muito comum haver sangramentos mais frequentes. O ideal é optar por uma escova macia e uma pasta de dentes que ajude a proteger a integridade das gengivas. Por norma gosto muito da Parodontax.

Como entrei no mundo dos perfumes de nicho

niche.JPG

Este post é um bocadinho diferente do habitual, mas apenas porque tive muita gente curiosa com a minha mais recente aquisição - um perfume da L'Artisan Parfumeur. A L'Artisan é considerada uma marca de nicho e não se vende em Portugal, pelo que tive muita gente curiosa com o processo de comprar um perfume sem poder efectivamente ir a uma loja e descobrir a marca olfactivamente.

O que é um perfume de nicho?

A definição é bastante volátil, mas no geral pode-se dizer que são habitualmente perfumes produzidos por marcas independentes, numa escala mais pequena. Estas marcas procuram agradar a um público mais exclusivo (nicho de mercado) em vez de ter como alvo a população em geral, que é o habitual nas marcas de perfume tradicionais/mainstream. Assim sendo, muitas vezes exploram conceitos e viagens olfactivas em vez de se focarem apenas no "ter um aroma que agrade a todos".

Por outro lado, há quem considere uma marca de nicho como uma marca que não se encontra em grandes retailers, mas cada vez mais se vêem estas marcas a chegar a espaços comerciais. O El Corte Inglês, por exemplo, vende Jo Malone e Penhaligon's (ambas foram compradas por grandes grupos, portanto será que devíamos continuar a considerar nicho? Não sou decididamente a pessoa com a resposta para isto). Temos ainda casas como a Maison Margiella que, sendo uma grande casa de moda, optou por fazer as suas fragrâncias Replica que exploram conceitos e ambientes. Estas poder-se-iam considerar que são de nicho, e há quem se refira a elas como tal, mesmo tendo derivado de uma empresa grande.

Ora bem, traduzindo com exemplos. Vamos olhar para uma Hugo Boss. Esta marca derivou de uma grande casa de moda e aquilo que tenta fazer é criar perfumes que sejam best sellers mundiais, e portanto focam-se em criar fragrâncias que agradem a uma percentagem elevada da população. Por outro lado, temos a Zoologist (estamos a ir para o outro extremo, note-se), uma casa de perfumes em que cada fragrância pretende ilustrar um dia/uma porção de tempo na vida do animal que compõe o nome do perfume. Claro que nem todas as casas de nicho são assim tão de nicho, a L'Artisan é um exemplo de uma marca que faz perfumes um pouco diferentes do que habitualmente se encontra em loja, mas ainda assim muito menos conceptual do que a Zoologist.

Porquê querer um perfume de nicho?

No meu caso, porque estava com imensa dificuldade em encontrar um perfume que me enchesse as medidas. Sou óptima a encontrar perfumes para usar no inverno (adoro o Opium Black da YSL e o Good Girl da CH), mas tinha dificuldades em encontrar algo que não fosse um oriental super quente - e que portanto só conseguia usar no inverno, detesto aromas quentes fora do inverno.

Por outro lado, há quem vá para nicho pela experiência olfactiva (é efectivamente muito mais interessante) ou porque quer algo exclusivo. Para quem não quer que o seu signature scent seja algo que é igual ao de toda a gente, o nicho é uma óptima opção.

Os perfumes de nicho são melhores? Depende do que se quiser. Têm, sem dúvida, uma oferta diferente, mas se estiverem felizes com os perfumes que usam, então é possível que um de nicho não vos traga nada de extraordinário.

Marcas de nicho

As marcas de nicho, neste momento, são infinitas. Contudo, há algumas marcas que já são um clássico dentro dos perfumes de nicho ou que são tão interessantes que se tornaram imediatamente uma referência:

  • Byredo
  • Jo Malone
  • Penhaligon's
  • L'Artisan Parfumeur
  • Frederic Malle
  • Acqua di Parma
  • Serge Lutens
  • Comme des Garçons
  • Maison Margiella
  • Escentric Molecules
  • Diptyque
  • Le Labo
  • Juliette Has a Gun
  • Jo Loves

Como escolher um perfume sem o poder experimentar em loja?

Muitas marcas permitem adquirir um número limitado de amostras por um preço simbólico (ou geralmente apenas pagando os portes). Noutros casos, existem serviços de consultoria providenciados pela marca, que avaliam as vossas preferências e sugerem algo que se encaixe. Por último, existem kits de descoberta que podem ser adquiridos online e são compostos por uma grande variedade de amostras. No meu caso, a L'Artisan permite escolher duas amostras de uma selecção limitada e encomendar, pagando apenas os portes. Faço ainda uma nota de que muitas marcas estão a enviar uma amostra do perfume que compram em full size. A ideia é que comprem sem conhecer e usem a amostra para o testar. Se não gostarem, podem proceder à devolução (mas esta opção já implica um nível monetário em que não me encontro, de ter o dinheiro cativo até a devolução estar terminada).

Agora, como escolher que amostras devemos mandar vir? Ou usam o serviço de aconselhamento, ou fazem a vossa própria análise de preferências. Existem alguns parâmetros dentro das vossas preferências que podem analisar:

  • existe alguma família olfactiva de que goste muito ou famílias que deteste? (eu habitualmente dou-me bem com os orientais, mas neste caso queria fugir um pouco a estes para poder ter um perfume usável o ano todo. Por norma, evito florais puros ou mossy woods)
  • consigo identificar alguma nota em perfumes que habitualmente ame ou deteste? (no meu caso, bases com sândalo e baunilha costumam ser vencedoras e fujo a sete pés de perfumes com rosas)
  • há algum perfumista que faça consistentemente perfumes que adoro? (o Morillas basicamente espirra e faz um best seller, por isso fiquei confiante no facto de umas das amostras que queria mandar vir ser dele)
  • enfiarem-se no Fragrantica e lerem as reviews dos perfumes que mais vos chamaram a atenção.

O meu processo

No meu caso, já tinha uma ideia muito aproximada do que vou gostando e desgostando, porque já faço este exercício mental. Depois, um dia em conversa com a Sara do Make Down ela recomendou-me dar uma olhadela à L'Artisan, porque dentro do mercado de nicho, são dos mais acessíveis. Aí foi só olhar para as notas dos perfumes disponíveis em amostra, analisar as notas de cada um e as reviews e escolher dois deles. Gostei tanto de um deles, que já mandei vir em full size.

Rotinas de rosto simples para mães exaustas

dakota-corbin-PmNjS6b3XP4-unsplash.jpg

Se há post que não pensava escrever, era este. Mas eis que vem uma filha e mostra o verdadeiro significado de exaustão, quando uma pessoa achava que já o tinha dominado nas directas da época da faculdade. E, com a vinda da exaustão, foi pela janela a vontade de pôr o que fosse no rosto. Portanto se estão neste barco de exaustão crónica, mas a vossa pele já se ressente: bem vindos, sintam-se acompanhados, temos chá e bolachas.

Vamos ter três passos aqui. O primeiro será avaliar a pele, o segundo criar uma estrutura que sintam que conseguem usar diariamente (não vale a pena comprometerem-se com demasiado numa fase inicial, neste momento estamos a apontar para o fazível de forma rotineira) e depois escolher os produtos. Todas as sugestões que vos deixo têm um pequeno comentário à frente para vos tentar ajudar a escolherem o melhor para o vosso caso.

 

O tipo de pele

É extremamente comum que depois de uma gravidez existam alterações permanentes na pele (no meu caso passei de uma pele mista com a zona T que quase escorria óleo para uma pele próximo do "normal"). Portanto é altura de esquecerem o tipo de pele que tinham e o tipo de produtos que habitualmente resultava convosco se sofreram estas alterações. Olhem para a vossa pele como se estivessem a vê-la pela primeira vez e tirem as vossas conclusões. Sentem a pele a repuxar? Ao fim do dia têm zonas extremamente oleosas? Há algum tipo de desconforto? Analisem bem a vossa pele e esqueçam-na como era antigamente.

 

Sinais a corrigir

Os sinais que mães tipicamente me dizem que querem corrigir são três: pele baça/sem vida, rugas aparentes e falta de firmeza. Quanto à falta de firmeza, temos pouca coisa que possamos fazer, uma vez que é maioritariamente uma questão estrutural. Contudo, vamos atacar as outras duas com tudo aquilo a que temos direito, de preferência no menor número possível de produtos (ninguém tem tempo para mais do que 5 produtos nesta fase).

 

A estrutura base da rotina

Os produtos que sugiro são obviamente passíveis de serem trocados por semelhantes e podem alterar a rotina para o que vos faz mais sentido. Não há regras escritas nem nada que se adeque perfeitamente a toda a gente. Encarem esta estrutura como um ponto de partida por onde poderão começar a reequilibrar a vossa pele.

Manhã:

  • limpeza
  • sérum hidratante e antioxidante
  • (creme hidratante se necessário em peles que precisam de mais nutrição)
  • protector solar

Noite:

  • limpeza
  • tónico esfoliante
  • sérum anti-envelhecimento seguido de hidratante de noite OU retinol seguido de sérum hidratante
  • (óleo se necessário em peles mais secas)

 

Sugestões de produtos

Antes de listar, se comprarem na Care to Beauty, para onde os links direcionam, podem usar o código ANA10 para terem 10% de desconto que acumula com os descontos em vigor (parceria).

 

Limpeza - vamos apostar em produtos que possam limpar e desmaquilhar, de preferência com fórmulas suaves e que possam ser facilmente enxaguados.

  • Jordan Samuel The After Show Treatment Cleanser (o melhor, super fácil de usar e remover)
  • The Body Shop Camomile Butter (versão mais acessível, pode turvar a visão)
  • Clinique Take the Day Off Balm (disponível facilmente em perfumaria, a escolha para quem não quer comprar online) [comprar]

 

Sérum Antioxidante - aqui a ideia é aproveitar não só para dar luminosidade à pele, mas também para prevenir envelhecimento precoce (quer por ter acção anti radicais livres, quer por proteger da poluição em certo grau). Caso queiram ver post comparativo, espreitem o post de séruns de Vitamina C.

  • Sesderma C-Vit [comprar]
  • SVR Ampoule C [comprar]
  • Kiehl's Powerful Line-Reducing Concentrate
  • La Roche-Posay C10 [comprar]
  • Eucerin Hyaluron-Filler Vitamin C [comprar]

 

Creme Hidratante - apostem em fórmulas que deixem a vossa pele confortável durante todo o dia e não apenas na aplicação.

  • La Roche-Posay Nutritic (em pele extremamente seca) [comprar]
  • Bioderma Sensibio Rich ou Light (para pele tendencialmente reactiva) [comprar]
  • Filorga Time-Filler (como um boost no anti-envelhecimento) [comprar]
  • La Roche-Posay Hyalu-B5 (para peles tendencialmente muito desidratadas) [comprar]

 

Protector Solar - para uso diário, mesmo no inverno.

  • La Roche-Posay Fluído Invisível - ex Shaka Fluid (extremamente fluído mas com acabamento luminoso - não confundir com glitter, só significa que não é matte) [comprar]
  • ISDIN Fusion Water Age-Repair (para um extra no anti-envelhecimento) [comprar]
  • Eucerin Gel Oil-Control (para peles tendencialmente oleosas) [comprar]
  • Bioderma Photoderm Spot-Age (para peles com tendência a manchas) [comprar]

 

Tónico Esfoliante - para garantir que a pele fica com uma textura regular, aumentamos a penetração de activos e reduzimos a tendência para comedões.

  • Biologique Recherche P50 (não é para todas as carteiras e tem de ser comprado em gabinete, mas é O melhor que alguma vez usei)
  • Pixi Glow Tonic (para quem nunca usou tónicos esfoliantes e quer algo suave)
  • Pestle & Mortar NMF (para peles sensíveis) [comprar]
  • Filorga Oxygen-Peel (para quem já tolera um nível mais elevado de esfoliação) [comprar]
  • Martiderm Balancing Toner (para pele oleosa) [comprar]

 

Sérum Anti-Envelhecimento - para quem não tolera o retinol, para a fase de verão ou para quem simplesmente quer começar por algo simples, vamos a séruns com efeito anti-envelhecimento.

  • Esthederm Intensive Hyaluronic Serum (para hidratação e algum preenchimento de rugas) [comprar]
  • Sesderma Samay (para peles sensíveis) [comprar]
  • SVR Sebiaclear Serum (para peles oleosas e acneicas) [comprar]
  • Martiderm Platinum Renew (para quem tem problemas mais sérios com textura irregular) [comprar]

 

Retinol - para usar no inverno e por quem tolere sem problemas, é o melhor anti-envelhecimento

  • La Roche-Posay Redermic Retinol (para quem se quer iniciar no retinol com algo já bastante eficaz) [comprar]
  • Sesderma Retises 0.5 Gel (para peles já habituadas a retinol) [comprar]
  • La Roche-Posay Retinol B3 (para peles sensíveis) [comprar]
  • Indeed Labs Retinol Reface (para quem se quer iniciar no retinol, mas prefere apostar numa versão suave inicialmente)

 

Sérum Hidratante

  • Pestle & Mortar Pure Hyaluronic Serum (o melhor, incluindo para pele sensível ou oleosa) [comprar]
  • SkinCeuticals Hydrating B5 (extremamento fluído, mas não é para todas as carteiras) [comprar]
  • SVR Ampoule B3 (para pele tendencialmente mais seca) [comprar]
  • Bioderma Hydrabio (para uma versão mais acessível) [comprar]

 

Como podem ver, são necessários alguns produtos, mas a ideia aqui é construir uma rotina sólida que possa ser usada de forma rotineira. Acrescentem produtos à medida que forem tendo a rotina bem estabelecida e sentirem que conseguem adicionar um passo extra.